• bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerNewsPSD9nov.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Quinta, 13 Setembro 2018

O PSD detetou “grandes falhas” no regulamento da bolsa de acesso ao ensino superior, destinada aos alunos universitários, aprovada hoje em Reunião de Câmara. “Nenhuma das preocupações manifestadas pelos munícipes foram atendidas por este executivo camarário”, apesar deste regulamento “ter sido bastante participado” durante a discussão pública, lamentou Joana Silva.

A vereadora social-democrata questiona, assim, o presidente de Câmara sobre as incoerências verificadas no regulamento de atribuição das bolsas aos estudantes universitários.

“Porque é que este é o único regulamento a nível do Ensino que tem por base o rendimento das famílias, quando isso não acontece com nenhum outro regulamento aqui na Câmara Municipal?”, perguntou.

Mas as questões de Joana Silva, que pretende juntar a voz do PSD à dos munícipes que não foram atendidos, continuam. “Porque é que só apoiam três anos de licenciatura quando nós sabemos à partida que existem vários cursos com uma duração superior como é por exemplo o caso da Enfermagem?”

A vereadora verificou existirem ainda outras duas falhas no regulamento. Por um lado, a redução no apoio dado pela Autarquia a alunos que recebem a bolsa do ensino superior do Governo Regional, quando isso não acontece, por exemplo, com a bolsa da Direção Geral do Ensino Superior. E por outro, a exclusão de alunos de cursos técnicos e profissionais no acesso a esta bolsa.

Questionada pelos jornalistas sobre a assinatura do acordo de execução entre a Junta de Freguesia do Monte e a CMF, Joana Silva, explicou que a Junta de Freguesia do Monte “viu-se obrigada a assinar o acordo” devido à asfixia financeira em que se encontrava, porque “de outra forma não poderia continuar a desempenhar as suas funções junto da sua população”.

Sublinhando que a Junta de Freguesia Monte e a população local sairão novamente penalizadas, uma vez que esta camara só irá fazer a transferência do envelope financeiro a partir do mês de setembro, quando aquele órgão autárquico, mesmo com o valor em falta da CMF esteve a desempenhar as suas funções.

A vereadora do PSD não deixou de notar que a teimosia da Autarquia em assinar o acordo deveu-se a uma questão relacionada apenas a um caminho. “Toda esta situação se deu devido a um caminho, apenas à limpeza de um único caminho”, ironizou, sublinhando que “é com desagrado que vê que mais uma politiquice [da CMF] acaba por prejudicar, essencialmente os fregueses do Monte.”