• bannerSitePSDM_CM.jpg
  • bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Quinta, 5 Julho 2018

O PSD considera inoportuna a aplicação da taxa turística no concelho do Funchal, tendo em conta os atuais relatórios do turismo que alertam para questões como o constante cancelamentos de voos para a Região e o limite de ventos impostos no Aeroporto Internacional da Madeira.

A votação dos sociais-democratas contra a introdução da taxa turística foi anunciada hoje por Rubina Leal, vereadora do PSD na Câmara Municipal do Funchal (CMF), após a Reunião de Câmara, que não aceita que o Município queira cobrar mais impostos, quando é esta mesma Autarquia que diz ter a maior receita fiscal de sempre.

“Não poder aceitar que este Município venha agora cobrar mais taxas”, sublinhou Rubina Leal, continuando: “Uma Autarquia que diz que tem o maior volume de receitas em impostos, um Município que diz que tem o melhor orçamento de sempre, um Município que diz que mais investiu, então que devolva às famílias do Funchal que bem precisam, e aqui refiro-me à devolução do IRS.”

A vereadora social-democrata criticou a postura de Paulo Cafôfo que anuncia obras com receitas que ainda não arrecadou. “Temos um presidente de Câmara que primeiro anuncia, depois traz o procedimento, que diz que vai arrecadar 5 milhões de euros e que essas verbas serão para aplicar no Matadouro e na Casa do Comboio no Monte. Não pode anunciar obras com receitas que ainda não foram cobradas.”

Rubina Leal defende que a taxa turística deve de ser estudada e avaliada, ouvindo todos os parceiros, nomeadamente os hoteleiros e todos os sindicatos. “Têm de ser ouvidas todas as associações e tem de ser encontrada a melhor forma de aplicação”, rematou.