• bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerNewsPSD9nov.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Segunda, 2 Julho 2018

Miguel Albuquerque disse hoje estar “muito satisfeito” por dar cumprimento a mais um dos compromissos do Programa de Governo. “Neste momento o ferry está a fazer a ligação entre o Funchal e Portimão e vai fazer 12 viagens anuais, durante os próximos três anos”

No entanto, o presidente do Governo Regional lamentou que “tenham que ser os contribuintes da Região Autónoma da Madeira a assumir aquilo que devia ser assumido pelo Estado, que são as ligações marítimas às suas ilhas.”

Albuquerque lembrou que é devido à Região que o País tem uma das plataformas continentais maiores do mundo e, ainda assim, o Estado não valoriza esta projeção atlântica geoestratégica para o Portugal, nem assume os seus deveres para com a Madeira e para com os madeirenses, ao contrário de Espanha.

“Só lamentamos que um País como o nosso que tem na sua dimensão arquipelágica a sua projeção atlântica, que tem uma das plataformas continentais maiores do mundo, que são cerca de 3,7 milhões de quilómetros quadrados, o Governo Central não assuma – como o Estado espanhol o faz – a ligação marítima de passageiros e cargas, como um dos vetores estratégicos do país.”

O Estado espanhol subsidia as ligações marítimas de passageiros e carga em mais de 70%, notou o chefe do executivo madeirense, alertando que para além de a Região ter um problema de mobilidade aérea, através da companhia aérea nacional que trata a Madeira “de forma vergonhosa”, ainda são os contribuintes madeirenses que têm de arcar com os encargos inerentes ao transporte marítimo de passageiros.

Miguel Albuquerque frisou que o Governo Regional “cumpriu com a sua obrigação” indo ao encontro das expectativas da população. Enquanto isso aguarda “que o Estado Português, no intervalo de dançar no palco do Rock in Rio, resolva os problemas fundamentais e estruturais” da Madeira, como é o caso da ligação dos passageiros às ilhas.

O presidente do Governo Regional aproveitou para apelar aos madeirenses para que usufruam deste navio que “oferece todas as condições de conforto e segurança” para fazerem as suas férias.