• 1bannerSitePSDM23junCOmpromissoCanico2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Sexta, 29 Junho 2018

O “desleixo” e a “inércia” da Câmara Municipal do Funchal (CMF) têm trazido graves constrangimentos à população funchalense, que cada vez menos se revê nas políticas ambientais do Município liderado pela coligação de Paulo Cafôfo.

Neste sentido, o deputado João Paulo Marques, apresentou hoje, na Reunião Municipal, uma recomendação ao executivo camarário para que invista na melhoria da qualidade das águas balneares do concelho, sublinhando que a Praia do Gorgulho fez manchetes nacionais pelas piores razões.

“A praia do Gorgulho está no ranking das cinco piores praias do País. Mai grave do que ser considerada como imprópria para banhos devido à má qualidade das águas em 2018, é ja o ter sido em 2017 e esta Câmara nada ter feito para mudar essa marca negativa", criticou o deputado municipal social-democrata.

João Paulo Marques lembrou que o Município do Funchal tem um passado que se orgulha, no que respeita à qualidade das águas balneares, referindo que no verão de 2013 as análises revelaram que o concelho tinha oito praias com qualidade excelente e apenas duas com qualidade aceitável. “No último verão os resultados alteraram-se. As oito praias de excelência, passaram a sete, e uma das praias [Praia do Gorgulho] apresenta má qualidade da água” fruto do desinvestimento do executivo camarário.

O “desmazelo” da Autarquia levou também à apresentação de um voto de protesto contra o estado de degradação e abandono das Hortas Municipais, por parte do deputado Fábio Bastos. “Hoje, ao contrário daquilo que acontecia nas vereações lideradas pelo PSD, temos parcelas ao abandono que se revelam autênticos focos de propagação de pragas”, alertou o deputado social-democrata. Enquanto isso, 700 pessoas interessadas em lotes engrossam a lista de espera.

Fábio Bastos chamou também a atenção da CMF para o perigo de ignição de fogos de verão em hortas abandonadas. Por questões de segurança e de respeito para com os munícipes que zelam as parcelas que cultivam, o PSD exige, assim, que a Autarquia corrija esta “situação gravíssima”.