• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Terça, 26 Junho 2018

O deputado municipal do PSD Nuno freitas afirmou na sessão solene do Dia do Concelho do Porto Santo que, "nos últimos quarenta anos, a Ilha do Porto Santo sentiu um enorme investimento por parte do Governo Regional da Madeira, no sentido de colmatar as necessidades mais básicas dos Porto-santenses."

Exemplo disso são o Porto de Abrigo, a Dessalonizadora, as ETAR´s, as estradas regionais e as redes de água potável e saneamento básico.

Segundo o autarca, a "social-democracia traduziu as ambições de um povo". Devolveu-lhe "a Esperança de um amanhã melhor, alargou horizontes laborais, potenciou o acesso à educação e aumentou a qualidade de vida de dodos, inclusive daqueles que mais maldizem a Social Democracia!"

"A conjugação idealizar, acreditar e realizar, fez desta ilha o que ela é hoje", afirmou, sublinhando que, passados seis séculos, do seu descobrimento, o Porto Santo ainda enfrenta tormentas que teimam desaparecer. São elas: A dupla insularidade e todos os seus custos inerentes; A elevada sazonalidade: a sobreocupação no verão e o encerramento de unidades hoteleiras no inverno; A dependência das ligações aéreas e marítimas; A elevada taxa de desemprego e a falta de formação especializada para os serviços; O envelhecimento da população; A qualidade e eficiência dos serviços de saúde; A falta de massa crítica; O abandono da agricultura e a quase total importação de bens de primeira necessidade e de recursos energéticos.

Um "Gigante Adamastor" que, de acordo com Nuno Freitas, "tem de ser dobrado".

O autarca considera que o Partido Social Democrata "foi quem melhor defendeu os destinos da ilha do Porto Santo, e certamente os Porto-santenses continuarão a depositar nele a sua Esperança", pois "será líder no desenvolvimento sustentável, com objetivos e metas concretas".

"Ao nível do poder local, o Executivo do Município do Porto Santo, está a tentar resolver os problemas do passado, mas esta resolução requer tempo. Não o tempo imediato da nossa vontade, mas o tempo implícito em todos os processos burocráticos. Por isso, é necessário aguardar com serenidade, ao invés de alarmismos desnecessários e desestabilizadores."


Nélio Freitas defendeu ainda a necessidade de delinear um plano Estratégico para o desenvolvimento do Porto Santo, nos próximos 10, 20 ou 30 anos, ressalvando que, "somente com justiça económica e social, equilíbrio ecológico, defesa do ambiente e qualidade de vida, poderemos obter um desenvolvimento sustentável".

"Precisamos de estímulos e de ações que enquadrem Todo o Porto Santo, para sustentar um futuro coerente e solidário, diminuindo assim a dupla insularidade de quem aqui vive. A Ilha do Porto Santo, está classificada como zona com condicionantes específicas, sendo assim elegível para Fundos Comunitários e o cumprimento da Constituição da República Portuguesa, no principio da continuidade territorial, poderão contribuir para a sustentabilidade, atenuando as desigualdades sociais, reduzindo as assimetrias."

O deputado municipal referiu também que o Porto Santo é um destino paradisíaco marcado pela sazonalidade, tendo condiçõe spara ser um destino atrativo todo o ano.

"Um destino de segurança, Bem-estar e Saúde, como é o caso das terapias com areia", disse.