• 1bannerSitePSDM23junCOmpromissoCanico2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Segunda, 25 Junho 2018

Nos últimos anos verifica-se uma proliferação de pragas urbanas – pombos, ratos e outros seres rastejantes – na cidade do Funchal, o que coloca em risco a saúde pública da população. O alerta foi deixado por Rubina Leal, que exige à Câmara Municipal do Funchal (CMF) a tomada de medidas “urgentes”.

Para a vereadora do PSD a “Cidade tem de estar cuidada, a limpeza urbana e a saúde pública têm de ser prioritárias.” No entanto, aquilo que se assiste é um “desmazelo” por parte do presidente da Autarquia, que “não está preocupado com as questões essenciais do Funchal, nem tão pouco com a limpeza urbana e a saúde pública.”

O importante, para Rubina Leal, é que a CMF tome medidas urgentes, atuando em duas frentes no combate às pragas urbanas, em prol do bem-estar e da saúde pública da população e dos visitantes.

“Por um lado a Autarquia deve desenvolver um programa de controlo preventivo de pombos, que inclua ações de informação e sensibilização destinadas à população, de forma a corrigir a reprodução descontrolada destas aves. Por outro lado há que tomar medidas de extermínio de ratos e outros seres rastejantes, minimizando os riscos para a saúde humana”.

Até porque “é com frequência que as pessoas nos dizem que não conseguem estar numa esplanada por causa dos pombos. É com frequência que os comerciantes nos dizem que no final da tarde, após o encerramento dos estabelecimentos, encontram ratos e baratas por todo o lado.”

“Não queremos uma Câmara que não cuida da nossa Cidade. O Funchal merece ser mais bem tratado,” afirmou Rubina Leal, lembrando que o controlo das pragas urbanas tem como finalidade a protecção da saúde e do bem-estar das populações e do património.