• banner-02.jpg
  • bannerNewsPSD8dez.jpg
  • bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Sábado, 23 Junho 2018

O presidente da Concelhia de Machico afirmou hoje que, "com um partido de esquerda", o concelho só teve "politiquice, falta de criatividade e ligeireza democrática".

Norberto Maciel falava no encerramento do Encontro de Autarcas Social-Democratas que decorreu na sede local, tendo aproveitado a ocasião para fazer uma "homenagem especial" a todos os antigos presidentes de câmara, de juntas de freguesia e governantes "que no passado construiram Machico", muito deles presentes nesta reunião. E aproveitou para anunciar que vai colocar a votação na próxima reunião de concelhia uma proposta feita no encontro, no sentido de personalizar a sede com uma menção a estas pessoas que muito fizeram por aquela terra, "que criaram uma identidade, desenvolveram um projeto e fomentaram o desenvolvimento".

"Machico é hoje a imagem da social-democracia", afirmou, sublinhando que foi sempre com o PSD que se cumpriu a máxima 'Machico Primeiro'.

Norberto Maciel salientou ainda que "urge a necessidade de combater esta apatia municipal e de dizer claramente que Machico merece mais e melhor", classificando o atual executivo de ser de "gestão corrente". "Neste momento, nós temos um executivo camarário que faz somente gestão corrente, não sabe cativar investimento privado, não sabe cativar investimento público, não sabe captar fundos europeus nem gerir as obras desenvolvidas pelo PSD", disse. Uma Câmara que, segundo o presidente da concelhia, só governa através de "impulsos das redes sociais".

E com isso, acrescentou, Machico fica "sem rumo e sem projeto".

Também Pedro Calado afirmou que se não fosse o trabalho feito pelo PSD, a Madeira não estava como está. "O que é que era a Madeira há 40 anos e o que é a Madeira hoje? Mas isso é graças à oposição? Nada! a oposição nunca fez nada!"

Presidente na sessão de encerramento em representação do presidente do partido e também enquanto elemento da Comissão Política Regional, Pedro Calado sublinhou que o que se vê hoje na oposição "é uma caça às bruxas", alicerçada na "calúnia" e fazendo "política com falsidades em redes sociais".

Há 40 anos, lembrou, grande parte dos madeirenses não tinha eletricidade, saneamento básico, estradas e outras infraestruturas como centros de sáude, escolas. "Nós conseguimos desenvolver a Região ao nível em que ela está hoje", adiantou, recordando que, na base deste desenvolvimento, esteve Alberto João Jardim e o PSD.

Hoje, destacou, o partido e a Madeira têm um novo Presidente, o Dr. Miguel Albuquerque, que "tem a mesma motivação que outros já tiveram".

Pedro Calado sublinhou que, quando este Governo tomou posse, em 2015, "apanhou um peso muito grande", que foi o facto de a Região ainda se encontrar sob a intervenção da 'troika', com todas as decisões a terem de ser submetidas "ao crivo de Lisboa".

"Tivemos de arrumar a casa", referiu, adiantando que não era possível fazer tudo de imediato. Ainda assim, hoje a Madeira já contribui possitivamente para a redução do défice do país, recuperou a economia e fez descer a taxa de desemprego. "Depois de dois anos difíceis, 2015 e 2016, nós não conseguiamos dar a volta num ápice, como muita gente pretendia fazer crer". 

De acordo com Pedro Calado, houve um trabalho de consolidação e a Madeira está agora a recolher os frutos.

De igual forma, o presidente da Associação Regional de Autracas Social-Democratas (ARASD), Pedro Coelho, que esteve presente na abertura do encontro, recordou que foram os autarcas e o PSD que "construiram a Madeira". "O partido está unido aqui em Machico, fez um encontro com muita gente, com muitas ideias novas e criativas.

Um partido que "está mobilizado", acrescentou Pedro Coelho, ressalvando que se verifica em Machico uma "falta de preparação" do atual executivo, sendo notória a falta de investimento do atual executivo que é daqueles "que menos investe no seu concelho".