• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Sexta, 22 Junho 2018

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) tem vindo sucessivamente a afastar a Junta de Freguesia de São Roque dos eventos que ali se realizam, “discriminando” aquele órgão autárquico em função das diferenças partidárias.

O último episódio, aponta o presidente da Junta de Freguesia de São Roque, Pedro Gomes, envolve a realização das Festas dos Santos Populares no Mercado da Penteada.

Todos os anos, recorda Pedro Gomes, a Junta de Freguesia é parceira da CMF na organização, assumindo os encargos com a contratação do artista e apresentador das marchas. Este ano, foi simplesmente esquecida. “Não contrataram o animador habitual residente na freguesia, como é tradição, nem contactaram a Junta de Freguesia para colaborar na organização das Festas como acontece todos os anos”, diz o autarca de São Roque, acrescentando que o pouco que sabe da Festa dos Santos Populares no Mercado da Penteada, sabe pela comunicação o social.

“A Junta foi posta de parte por não ser da mesma cor política da Câmara. Não é compreensível, principalmente para quem diz defender tanto as pessoas”, salienta Pedro Gomes, dizendo que a população tem sido a principal prejudicada. Os comerciantes não estão satisfeitos com a falta de informação sobre o programa de festas, já que a Junta de Freguesia colaborava na sua divulgação. “Como esta foi afastada todos se ressentem.”

Dizendo não ser “compreensível” que interesses partidários se sobreponham às relações normais entre instituições, Pedro Gomes afirma que o mesmo não tem acontecido noutras freguesias do Funchal, onde o executivo é da mesma família política da CMF. Aí, diz, as juntas de freguesia são chamadas a participar na organização das suas festas populares

“Em São Roque, por sermos de uma cor política diferente, a parceria com a Câmara pelos vistos deixou de existir”, lamenta, dizendo que a “discriminação” que a freguesia tem sido alvo acontece também a outros níveis. “O senhor presidente da Câmara vem visitar São Roque e nunca convida o presidente da Junta para acompanhá-lo, o que não acontece noutras freguesias em que são da mesma cor política.”

O autarca defende uma “ligação próxima” entre dois órgãos democraticamente eleitos, e reafirma que vai continuar a trabalhar em prol da população de São Roque, com ou sem a colaboração da Autarquia. “Estamos aqui é para trabalhar para os munícipes. Para a população. Para os fregueses. Não é para fazer política com a vida das pessoas ou pensar nas eleições de 2019.”