• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Sábado, 9 Junho 2018

O Grupo Parlamentar do PSD considera que está em "marcha mais um violento ataque às regiões autónomas". Em causa está a nova Lei de Finanças Locais apresentada hoje pelo Governo socialista. 

Após uma reunião com a Associação Regional de Autarcas Social Democratas (ARASD), que decorreu na sede do PSD, o deputado Carlos Rodrigues afirmou que o primeiro-ministro quer, uma vez mais, "cumprimentar com o chapéu alheio". Ou seja, "por um lado, dá mais competências aos municípios e autarquias locais, mas quer usar o dinheiro das regiões autónomas para o fazer".

"É, no nosso entender, um roubo descarado que é feito às regiões autónomas e às suas receitas próprias", disse.

O deputado sublinhou que não deixa de ser relevante que "este ataque aconteça em simultâneo com a visita à Madeira daquele que já considerado por todos como o  ministro da saúde mais incompetente do período democrático".

Um ministro que, segundo Carlos Rodrigues, faz parte de um Governo que está há três anos para resolver um conjunto de assuntos relacionados com os problemas e constrangimentos da Região Autónoma da Madeira, como são disso exemplo a questão do novo hospital e o subsídio de mobilidade.

Um Governo que tem tido, de acordo com o deputado, "a ousadia de mandar semanalmente emissários de lá para cá, sendo que esses emissários são normalmente os seus próprios ministros, para dar lições de boa governação a todos nós madeirenses".

Mas, se há coisa que a Madeira e todos os madeirenses dispensam, adianta o deputado, são "lições de bem governar a Região Autónoma da Madeira", sobretudo quando "são dadas por quem nada tem a oferecer e por quem que, no desempenho das suas funções, tem manifestado uma incompetência gritante".

Carlos Rodrigues afirmou ainda que "esta ofensa à Autonomia" é "um sinal muito forte de que vale tudo para chegar ao poder", o que, na sua opinião, "é muito revelador da fraqueza das soluções que se apresentam ao eleitorado e a todos nós madeirenses".