• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Quinta, 24 Maio 2018

O Secretário-Geral do PSD/Madeira afirmou hoje, em declarações ao JM, que "a mobilidade dos residentes na Madeira não pode ter um preço". Em causa está o anúncio do Primeiro-ministro, em discussão na Assembleia da República, de que o Estado irá disponibiizar 25 milhões para o subsídio de mobilidade.

"Até 25 milhões de euros somos portugueses, e a partir daí somos o quê?", questionou Rui Abreu, garantindo que a Madeira não pode aceitar um modelo destes. 

O Secretário-Geral aponta ainda as contradições de António Costa, que, por um lado, afirma que a coesão territorial é tão importante entre regiões do Continente, bem como entre estas e as regiões autónomas", por outro, bem impor um limite à mobilidade dos madeirenses.

Outra questão levantada por Rui Abreu, ao JM, foi a "trapalhada" sobre as contas da Região. "Em fevereiro disse, na Assembleia da República, que teve uma 'desagradável supresa', acusando a Madeira de ter agravado o défice público de 2017. Agora veio reconheceresta semana que tivemos um 'superávit no ano passado e que as 'exportações da Madeira estão francamente acima da média nacional', com ritmo de crescimento de 13% ao nao. Uma trapalhada discursiva dificil de entender."