• banner-02.jpg
  • bannerNewsPSD8dez.jpg
  • bannerSitePSDMconclusoes.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
Notícias
  Terça, 22 Maio 2018

As medidas anunciadas pelo Primeiro-ministro durante a visita de ontem à Região não trouxeram nada de novo. Confirmam, apenas, que os problemas entre a Região e a República, bloqueados em Lisboa, continuam a existir, constatou hoje o Secretário-geral do PSD/Madeira.

“Como todos sabemos, os 50% do novo hospital e o pagamento dos subsistemas de saúde no valor de 17 Milhões de Euros não passam, mais uma vez, de um renovar de promessas já antes feitas, nomeadamente na anterior visita do Primeiro-ministro à Região em março de 2017”, afirmou Rui Abreu.

Apontando baterias ao PS-Madeira que dizia que as questões pendentes entre a Madeira e São Bento eram problemas inventados pelo PSD/M, Rui Abreu é perentório: “afinal confirma-se que, na realidade, os problemas existem e continuam a existir, e nós continuaremos a lutar pela sua concretização.”

Basta olhar para a posição do Primeiro-ministro em relação aos juros da dívida da Madeira e face ao subsídio de mobilidade. “Quanto aos juros da dívida da Madeira, o primeiro-ministro apenas se mostrou “sensível” e “disponível” para encontrar uma solução. Também aqui nada de novo. Como não houve nada de novo sobre o subsídio de mobilidade.”

Por isso garante, Rui Abreu, o PSD irá continuar a defender os Madeirenses e Porto-santenses e continuará a defender a Autonomia política da Região. “O PSD/Madeira irá continuar a lutar pela concretização destas justas aspirações dos Madeirenses e Porto-santenses, e nunca irá abandonar a luta pela Autonomia da Madeira e do Porto Santo, e pelos seus direitos consagrados na Constituição da República. Seja contra um governo socialista em Lisboa, seja contra um governo de outra qualquer cor partidária”, concluiu.