• bannerSitePSDM19abr2018.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • bannerSitePSDM19mar2018.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Segunda, 12 Março 2018

Miguel Albuquerque afirmou hoje que o PSD e os seus militantes têm de "estar mobilizados para o grande desafio que vamos enfrentar em 2019", salientando que o que vai estar em causa é uma "luta entre autonomistas, o PSD, e as marionetas do poder central em Lisboa".

No encontro, realizado ao fim da tarde, na sede do PSD Machico com os militantes desta freguesia e de Água de Pena, o presidente do PSD Madeira sublinhou que se trata de um desafio que exige dos madeirenses "uma grande atenção" porque, neste momento, "existe um cerco evidente da esquerda relativamente à Madeira".

"O Governo de esquerda em Lisboa vai fazer tudo o que é possível para tomar o poder na Madeira e já começou a utilizar a pressão", afirmou Miguel Albuquerque, salientando que o PS está completamente dividido na Região e a facção que ganhou a liderança regional "está ao serviço de Lisboa".

"Evidentemente, o que está aqui em jogo é saber se, no futuro, os madeirenses e portossantenses querem ser mandados pelo poder central em Lisboa, se querem perder aquilo que foi a Autonomia e a decisão que conquistaram com a Autonomia, se querem perder a sua Autonomia política, se querem delegar no Governo de Lisboa aquilo que são as competências que têm tido desde o 25 de abril."

O presidente do PSD sustenta que ao perdermos a Autonomia e o poder de decisão, a "Madeira vai sofrer uma reversão", estando em causa "todo aquele desenvolvimento que nós conquistámos e que, neste momento, está bem visível através dos indicadores económicos". 

Miguel Albuquerque lembra que a Região está a crescer em todas as áreas da sua economia e "o desemprego baixou substancialmente".

Nesse sentido, referiu que o que está em jogo é saber realmente se os "madeirenses e portossantenses querem ou não manter a sua Autonomia".