• bannerSitePSDM19abr2018.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • bannerSitePSDM19mar2018.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Quinta, 8 Fevereiro 2018

“Um absurdo”. Foi desta forma que a vereadora do PSD, Joana Silva, classificou o facto da Câmara Municipal do Funchal não ter atribuído a totalidade das verbas angariadas pela conta solidária às famílias vítimas dos incêndios de agosto de 2016.

São cerca de 58 mil euros remanescentes doados com “toda a boa vontade” e “generosidade” por cidadãos de todo o país, que em vez de serem canalizados diretamente para as famílias ficaram retidos nos cofres da Câmara do Funchal.

Mais grave, considerou Joana Silva, é o facto de a Autarquia querer utilizar essa verba como se fosse sua para adquirir kits de proteção civil.

Uma intenção do executivo camarário que acabou por ser travada hoje pelos vereadores da oposição, durante a reunião de câmara.

“O PSD votou favoravelmente à proposta de alteração do destino  da conta solidária ‘Funchal Incêndios de 2016’”, disse a autarca, informando que a partir de agora as vítimas dos incêndios têm um período adicional de 60 dias para recorrer aos 58 mil euros que ficaram por atribuir.

“Nesta reunião conseguimos que a CMF voltasse atrás na sua decisão e desta forma vimos prolongado o prazo para o qual as famílias podem recorrer a esse apoio. Porque isto seria defraudar quem quis ajudar e quem quis doar dinheiro às vítimas dos incêndios.”