• bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Sexta, 8 Dezembro 2017

Em 2019, quando o PSD/Madeira se apresentar perante os madeirenses para as às eleições regionais desse ano, vai apresentar-se com todos os compromissos eleitorais cumpridos.

A garantia foi deixada ontem à noite pelo presidente do partido, Miguel Albuquerque, que mostrou-se convicto numa nova maioria absoluta social-democrata.

“No dia em que nos apresentarmos às eleições de 2019, vamos apresentarmo-nos perante o povo com todas as promessas cumpridas. Esta é uma certeza que posso dar a todos vós”, disse Albuquerque durante o jantar de Natal do PSD/Madeira, que juntou cerca de 1.200 pessoas no Madeira Tecnopólo.

Lembrando que o PSD é o grande partido da Região, aquele que tem “liderado” as grandes transformações da Madeira, Miguel Albuquerque afirmou que os social-democratas estão preparadas para, “sejam quais forem as circunstâncias”, vencer em 2019 com maior absoluta.

“Há quem pense que pode enfraquecer o nosso partido, mas a única fraqueza que podemos ter é estarmos divididos. Tenho a certeza que estamos todos juntos para uma nova etapa de desenvolvimento e de conquista junto ao povo da Madeira e do Porto Santo”, notou, explicando que após uma das “maiores crises”, a Região está já numa fase de recuperação económica.

Percorrendo os indicadores económicos, como o crescimento da economia há 52 meses consecutivos ou a taxa de desemprego que é agora a mais baixa dos últimos seis anos, o presidente do PSD/M disse que o Governo Regional tem investido em todas as áreas, com beneficio direto para os madeirenses e porto-santenses. “As pessoas vivem melhor”, sublinhou, dizendo que os próximos dois anos serão de um novo ciclo.

“Neste próximo ciclo vamos investir mais na área social, vamos reforçar os apoios aos mais carenciados, vamos apoiar mais a Saúde e vamos fazer mais investimento”, garantiu, reforçando a importância do Partido estar “unido” em torno dos grandes objetivos que quer prosseguir.

Albuquerque prometeu também continuar a “fazer frente” à esquerda, “de cá e de lá”, e a denunciar os compromissos do Estado que não estão a ser cumpridos. “Nós não admitimos que os madeirenses e os porto-santenses sejam discriminados relativamente a outros portugueses”, disse, enumerando o subsídio de mobilidade, o novo hospital, a redução dos juros da dívida regional. “É uma vergonha. Quando a esquerda está no poder faz tudo ao contrário daquilo que prometeu às pessoas”, sublinhou, notando que nenhum madeirense ou porto-santense vai tolerar um Governo Regional comandado a partir de Lisboa.