• bannerNewsPSD21set3.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Quarta, 22 Novembro 2017

O deputado Guido Gonçalves afirmou hoje que a defesa das zonas rurais não se faz com a elaboração de planos, como já foi proposto pela oposição na Assembleia Legislativa da Madeira, mas com a promoção do trabalho, desenvolvimento e com a construção de infraestruturas essenciais e boas acessibilidades para que se possa atrair o tecido empresarial e o investimento privado.

"Como defensor acérrimo da costa norte da Região e das pessoas que lá residem, sempre coloquei os interesses das gentes do norte acima dos interesses partidários mesmo que essa minha posição, eventualmente, possa não merecer os aplausos de toda a gente, mas, se entendo que devemos ter uma atitude crítica quando achamos que algo está mal também, não é menos importante reconhecermos aquilo que está a ser feito e bem feito por parte do Governo Regional", afirmou o deputado, numa intervenção antes da ordem do dia na ALRAM.

Guido Gonçalves sublinhou que, "ao contrário do que acontece no Governo da Republica, o Governo Regional honra a sua palavra dada".

Lembrou que, no início deste mandato, "o Governo Regional definiu estratégias para o norte da Ilha, comprometeu-se a olhar para o Norte como uma mais-valia para o todo regional e, felizmente, passados dois anos e meio é notória essa atenção que o norte tem merecido por parte dos nossos governantes".

"Quero enaltecer o trabalho desenvolvido até ao momento por este executivo, que tem honrado os seus compromissos de igual forma, sejam eles nas zonas urbanas, sejam eles no norte ou na zona oeste", adiantou, acrescentando que, "ao contrário do que muitas vezes alguns partidos querem fazer parecer que este Governo não faz obra, nem cumpre nos concelhos onde não é poder, a verdade é que este Governo não olha à cor política de cada concelho, trabalhando de igual forma em toda a Região e para todos os Madeirenses e Porto-Santenses".

Guido Gonçalves afirma que basta ir ao norte para verificar que nos concelhos governados pelo PS, como é o caso do Porto Moniz, e pelo CDS, em Santana, têm merecido igual tratamento do que concelhos como Câmara de Lobos, Calheta ou São Vicente. "Em Santana, o Governo Regional investiu na requalificação do centro, tornando aquela praça mais apelativa não só para os residentes como também para os visitantes, também na requalificação do parque florestal das queimadas que é um ex-libris do turismo na Região, investiu também na reabilitação do mercado abastecedor de Santana, inclusive na aquisição de maquinaria e que é fundamental numa terra agrícola como é o caso de Santana. No Porto Moniz foram feitas obras de reabilitação do posto de receção de pescado  e prepara-se para avançar a requalificação da estação zootécnica que será o grande investimento na área da pecuária na Região."

O deputado lembra ainda que, em São Vicente, "a criação da escola agrícola da Madeira, um projeto que inicialmente levantou muitas dúvidas sobre o seu sucesso", é reconhecido pelo próprios agricultores da região como uma mais-valia." "São os próprios produtores que querem ter formações nas áreas a que se dedicam e que a escola oferece uma série de serviços para o setor agrícola inclusive também do ponto de vista burocrático que, como sabemos, é um dos grandes handicaps de muitos dos nossos agricultores, que por vezes perdem muito do seu tempo de trabalho com a burocracia exigida pelas entidades fiscalizadoras do setor", disse.

Guido Gonçalves salienta que "esta infraestrutura de âmbito regional e que está sediada num concelho rural demonstra bem a política de descentralização que este Governo implementou e bem, e é com medidas destas que se desenvolvem as zonas rurais".

Ao nível da descentralização, destacou também "o papel da secretaria regional do Turismo ,nomeadamente na realização da Festa da Flor, em que além de prolongar no tempo, fez questão de descentralizar o evento por toda a ilha num trabalho conjunto com as autarquias locais e que foi sem dúvida uma aposta ganha, segundo o feedback de alguns responsáveis de autarquias do norte que notaram uma grande afluência por parte dos turistas ao centro dessas localidades durante esse período". "Que este exemplo possa ser replicado noutras festas temáticas que se realizam ao longo do ano e que faziam todo o sentido que chegassem a todos os cantos da Região", sugeriu.

Voltando às infraestruturas e ao investimento por parte do Governo Regional no norte da Ilha, Guido Gonçalves destacou um dos grandes compromissos assumidos por este executivo: a conclusão da via-expresso entre São Vicente e Boaventura. "Desde o início que houve sempre uma grande preocupação por parte deste Governo em concluir este trajeto rodoviário, porque estávamos todos cientes da falta de segurança que as estradas alternativas ofereciam não só aos residentes mas também aos turistas que nos visitam e que nos últimos anos abdicaram de frequentar aquela zona face ao risco exposto que era circular ali", disse.

Outras obras destacadas foram as da repavimentação da estrada regional que liga a Boaventura ao Arco de São Jorge e posteriormente do alargamento do túnel Duarte Pacheco, as quais, serão, segundo Guido Gonçalves, essenciais na reativação da passagem de turistas pelo norte.

"Estes são apenas alguns exemplos dos compromissos assumidos pelo Governo Regional que estão a ser plenamente cumpridos e que vão de encontro às expetativas das populações do norte da ilha", salientou.