• 1bannerSitePSDM19jun2018.jpg
  • 35227974_10216705850468501_2142540222246682624_n.jpg
  • bannerSitePSDM23mar2018rui.jpg
  • topofaceCompromissoMadeira2018
Notícias
  Sexta, 29 Setembro 2017

Roquelino Ornelas afirmou hoje, no comício de encerramento de campanha, que sua equipa mostrou ao longo das últimas semanas que está motivada e unida e que, "apesar desta campanha eleitoral ter sido muito desigual", cumpriu, com dever educação e civismo, o seu papel.

"Ao contrário, os nossos adversários em final de mandato, desrespeitaram a lei, mentiram e usaram de todos os subterfúgios e manhas para enganar o eleitorado", disse.

O candidato do PSD sublinhou que, "neste momento particular, há munícipes, independentemente do quadrante político onde se coloquem, que deverão estranhar este frenesim de obras. Nunca, em tempo algum se assistiu a semelhante coisa. De repente, à medida que se aproximavam as eleições a atual vereação desatou a contratar, a mexer-se. Passou tudo a ser urgente. Nestas últimas semanas até houve pessoas a trabalhar das 7 da noite às 7 da manhã para aprontar obras que deveriam ter sido planeadas e efetuadas ao longo do mandato que como se sabe é de 4 anos."

Roquelino Ornelas acrescentou que "os residentes e os visitantes, turistas incluídos, conviveram neste mandato com um exuberante desleixo na recolha de lixo que se amontou dando uma nota de grande degradação e desleixo, coisa grave em qualquer lugar mas muito mais lamentável num concelho que é o segundo maior núcleo de turismo da Região."

Segundo afirmou, a recolha seletiva registou um retrocesso, quase civilizacional, em vez de se aumentar o número de ecopontos verificou-se exatamente o contrário.

Os jardins públicos, as veredas usadas para acesso a residências e locais de interesse turístico, as bermas das estradas deixaram literalmente de ser limpas e as ervas daninhas e silvados avançaram. "A promenade do Caniço, por exemplo esteve com buracos no pavimento e varandas partidas, durante 3 anos e meio para espanto de todos."

Roquelino Ornelas lembra que para esta inércia o argumento usado foi o do pagamento de dívida. "Nunca se explicou porque razão não se aplicou parte das receitas que o município gera, nas despesas com o essencial à satisfação das necessidades coletivas de bem estar e salubridade."

O candidato socal-democrata sublinha que "o JPP sabia do estado das finanças porque o seu presidente foi vereador no mandato 2009-2013, mas preferiu refugiar-se na atitude de atacar de forma quase patológica os autarcas que a antecederam".

Roquelino Ornelas salientou que continua também por explicar a falta de jeito para negociar com parceiros. "Essa falta de sentido de negociação verificou-se com empresários a quem se prometia uma coisa e fazia outra. Aos hoteleiros por exemplo impôs-se, sem qualquer aviso prévio uma ecotaxa, criando assim de repente um problema já que se tratava de um agravamento não previsto."

Foi também assim, disse, com a "Madeira Parques " com quem o município tem de negociar a solução do parque industrial da Cancela. "Um concelho com a dimensão e as características de Santa Cruz, merece ser governado de forma civilizada e não desta forma exagerada que faz lembrar as repúblicas populares", referiu.

Com o PSD, garantiu Roquelino Ornelas, Santa Cruz "será governada no respeito pelos interesses dos seus munícipes, mas em conformdade com as regras do bom convívio democrático".

"Estamos contra esta forma de exercer o poder com base em permanente conflito e animosidade", concluiu.

Por seu lado, o presidente do partido afirmou que "Santa Cruz é um concelho que está parado há quatro anos", salientando que ninguém que viva no município poderá estar satisfeito com o que aconteceu nos últimos quatro anos.

De acordo com Miguel Albuquerque, os espaços verdes e a limpeza dos espaços públicos piorou, faltaram os apoios à cultura e ao desporto e perdeu-se a oportunidade de aproveitar os apoios que estavam ao dispor para melhorar a rede de águas. O resultado são perdas na ordem dos 60%.

"Houve muita promessa e não houve o cumprimento das promessas e a verdade é que o povo de Santa Cruz foi enganado", disse, acrescentando que o que existe neste concelho "é uma mão cheia de nada".

Andaram a dizer que não tinham dinheiro, salientou Albuquerque, mas gastaram dinheiro em escritórios de advogados e agora também o têm para alcatroar estradas à última hora "para caçar votos".

O presidente do PSD lembrou ainda que foi este partido social-democrata que fez as grandes obras naquele concelho e salientou que volta a apresentar pessoas íntegras e honestas, com currículo profissional. Uma equipa que está ao dispor dos cidadãos de Santa Cruz e que vai trabalhar em prol do desenvolvimento do concelho e dos mais desfavorecidos.

"Nunca seremos um partido que pactua com a mentira com a promessa não cumprida e com a vigarice", é por isso é que estamos aqui a denunciar", disse.